Recomendações da SBPC/ML para realização de exame de urina

Recomendações da SBPC/ML para realização de exame de urina

SBPC/ML – 2017

Pode parecer muito estranho que, em uma época em que os laboratórios clínicos incluem em suas rotinas exames tão complexos quanto os realizados por citometria de fluxo, espectrometria de massas, biologia molecular, mapeamento cromossômico, entre tantos outros, a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) resolva investir na elaboração de um livro que pretende estabelecer diretrizes para a realização de exames em urina. Ao observador menos atento ou menos familiarizado com as questões laboratoriais, exames realizados em urina já deveriam ser de amplo conhecimento daqueles que trabalham na área e seria desnecessária qualquer iniciativa ou esforço para divulgá-los. A realidade, no entanto, é diferente. Uma análise isenta evidenciou que muitos dos exames realizados em urina carecem de padronização, de sólido conhecimento técnico, de homogeneidade na interpretação de suas potencialidades e limitações. A era na qual estamos vivendo, de globalização, mobilidade e amplo acesso às informações, torna a consistência e a harmonização de conhecimentos e de procedimentos valores indispensáveis para o estabelecimento de confiabilidade e segurança para os profissionais, pacientes e instituições. Por essa razão, justifica-se a iniciativa da SBPC/ML e de alguns de seus parceiros em patrocinar esta obra.

Esta publicação é voltada tanto para os profissionais que precisam solicitar exames e interpretar os resultados quanto para os diferentes profissionais envolvidos no atendimento ao paciente, na coleta de material e na sua realização técnica. Dessa forma, foram escolhidos tópicos que abrangem exames corriqueiros, como o exame de urina de rotina, e exames menos comuns, com indicações e interpretações mais específicas, por exemplo, o diagnóstico de doenças metabólicas. Adicionalmente, foram incluídos exames que permitem a avaliação das diversas funções renais e procedimentos das áreas de microbiologia e toxicologia.

Sign up for our newsletter

Receive relevant publications about labs, solutions for quality
management and optimization of business management.

LOG IN

Você está quase lá

Antes de realizar o download do livro, por favor informe seu e-mail.

We use cookies and other similar technologies to improve your experience, enabling a more personalized navigation, according to the characteristics and your interest. For more information see our Privacy and Security Policy.

PRM 0009

Accreditation Cgcre/Inmetro - Certified Reference Material Producer

Controllab has been accredited as a Certified Reference Material Producer (MRC) since 2016 by Inmetro’s General Coordination for Accreditation (CGCRE), under the PMR 0009 number. The assessment of this conformity is carried out according to the requirements established in ABNT NBR standards ISO 17034 and Inmetro, thus ensuring competence for the production of MRCs, according to the Scope of Accreditation.

CAL 0214

Accreditation Cgcre/Inmetro - Calibration Laboratory

In December 2002, the Calibration Laboratory was accredited by Inmetro’s General Coordination for Accreditation (CGCRE). With this recognition, it became an integral part of the Brazilian network of accredited laboratories, under nº214. Since then, it is periodically evaluated for the maintenance and/or extension of accreditation.

PEP 0003

Accreditation Cgcre/Inmetro - Control Laboratory

In September 2011, Controllab was accredited by Inmetro’s General Coordination for Accreditation (CGCRE) as a proficiency test provider, under nº PEP0003. Initially as part of a pilot project by Inmetro, this accreditation was based on ILAC G13: 2007 and included several clinical and hemotherapy tests. In the periodic evaluations of this accreditation, new segments and tests are included and the evaluation is now conducted according to ABNT NBR ISO/IEC 17043.

This accreditation attests to Controllab’s technical competence to develop and conduct proficiency tests in accordance with international requirements and enables it to be recognized in other countries, in accordance with mutual recognition agreements signed by Brazil in Mercosur, the Americas and Europe.